Início Notícias Crise: Greve dos professores da UFPE será definida na próxima semana

Crise: Greve dos professores da UFPE será definida na próxima semana

269
Foto: divulgação

A Associação dos Docentes da Universidade Federal de Pernambuco (Adufepe) realizará, na próxima quarta-feira (17), uma assembleia para discutir uma possível deflagração de greve dos professores da instituição. Caso a paralisação seja aprovada, os profissionais cruzarão os braços a partir de uma data estabelecida nessa mesma reunião.

A assembleia está prevista para as 10h e será realizada no auditório Professor Paulo Rosas, que fica na sede da associação, dentro do campus Recife da UFPE, na Cidade Universitária. Também haverá transmissão online.

Havendo paralisação, todos os campi da UFPE no estado deverão deverão ser afetados, incluindo as unidades do interior e o Colégio de Aplicação. Entidades como o Instituto Federal de Pernambuco (IFPE) e a Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) não serão impactadas.

No último dia 27 de março, os professores aprovaram em assembleia o “Indicativo de Greve”. Essa medida, porém, não paralisa as atividades dos profissionais, servindo como um alerta de que a categoria poderá cruzar os braços em breve.

Isso significa que as atividades do semestre 2024.1, que terá início na próxima segunda-feira (15), estão mantidas até que haja uma decisão dos profissionais da categoria.

LEIA TAMBÉM: Flávio Dino ministra Aula Magna na Universidade Federal de Pernambuco na próxima segunda

Os professores universitários reivindicam aumento salarial junto ao Governo Federal e reestruturação da carreira, que também afeta a remuneração.

Greve nacional

Diversas universidades federais do país estão aderindo a um movimento de greve em reivindicação a reajuste salarial. A decisão, porém, cabe a cada entidade. Ao menos 10 instituições já decretaram que paralisarão as atividades na próxima segunda-feira (15).

Apesar de não haver um acordo nacional de paralisação, a maioria das universidades pede ao Governo Federal reajuste de 22,17%, dividido em três parcelas em 2024, 2025 e 2026. O governo, por sua vez, propõe reajuste zero em 2024, liberando 4,5% em 2025 e 2026.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here