Início Notícias Saúde: Secretarias instituem “Dia Estadual de Combate às Arboviroses nas escolas”

Saúde: Secretarias instituem “Dia Estadual de Combate às Arboviroses nas escolas”

48
Foto: divulgação

Para reforçar a mobilização da sociedade no combate às arboviroses, as Secretarias de Saúde, Educação e Meio Ambiente do Estado de Pernambuco uniram esforços para combater a dengue, a zika e a chikungunya. Para marcar a ocasião, as pastas definiram 26 de abril como o “Dia Estadual de Combate às Arboviroses nas Escolas”. A abertura da campanha será realizada na Escola Municipal Nossa Escola, em Jaboatão dos Guararapes.

As arboviroses, no Brasil, em especial a dengue e o chikungunya, têm se expandido, gerando números alarmantes, em 2024. Trata-se justamente do período de sazonalidade, compreendido nos meses de março e junho, podendo se estender até julho.

Diante do cenário, a iniciativa busca envolver e intensificar as ações de prevenção na comunidade escolar, em parceria com os entes da saúde pública e do meio ambiente. A ideia é sensibilizar os indivíduos locais, identificando pontos de vulnerabilidade ambiental e possíveis focos do mosquito, além de levar e expandir a informação de qualidade às crianças e aos jovens.

“Essa é mais uma ação intersetorial do governo que ninguém faz nada sozinho, no governo da governadora Raquel Lyra, em que a gente está junto com a educação e o meio ambiente, trabalhando na prevenção das arboviroses. Então, vamos procurar os reservatórios, os criadouros de mosquito, e conseguir se fortalecer enquanto população e se livrar da doença”, pontuou a secretária de saúde, Zilda Cavalcanti.

Atualmente, a Secretaria de Saúde de Pernambuco (SES-PE) tem intensificado atividades coletivas de cuidado e prevenção da saúde da população, por meio do empoderamento das comunidades sobre seus territórios. A SES-PE entende que esses espaços públicos de uso coletivo ou privados são fundamentais para se iniciar o enfrentamento dessas doenças.

“Nossas escolas estarão engajadas nesta iniciativa do Governo do Estado, extremamente importante no combate às arboviroses. Tanto os professores como os demais profissionais que atuam na educação da rede estadual irão participar das ações de forma intensiva, a fim de conscientizar e mobilizar os estudantes e seus familiares para combaterem os focos de mosquitos e consequentemente doenças como dengue, zika e chikungunya”, reforçou a secretária de Educação e Esportes, Ivaneide Dantas

O Diretor Geral de Vigilância Ambiental da SES-PE, Eduardo Bezerra, compreende a data e a aproximação com a unidade escolar como oportunidades de criar diálogo direto com as famílias. De acordo com ele, essa iniciativa é um meio poderoso de replicar as informações, envolver e transformar o ambiente e o comportamento em relação ao trato sanitário dos territórios.

“Uma criança com seus quatro ou cinco anos, por exemplo, é capaz de compreender que aquela tampinha de garrafa descartada na rua com água acumulada pode ser uma casinha do mosquito e, até de forma lúdica, reproduzir essa preocupação em seus lares”, destacou Eduardo.

Essa é uma das várias ações lançadas pela SES-PE no enfrentamento às arboviroses. Em novembro de 2023, a pasta instituiu o Plano de Contingência que estabelece trabalhos que serão desencadeados e/ou intensificados para o enfrentamento dessas doenças nos municípios pernambucanos, a partir da análise do perfil epidemiológico e entomológico das arboviroses no Estado e a organização da rede de atenção à saúde para atendimento desses casos.

“A ação conjunta de combate às arboviroses, em especial ao mosquito da dengue, desencadeada pelas Secretarias de Saúde, de Meio Ambiente e de Educação do estado de Pernambuco, apresenta um componente que difere de ações anteriores: a participação ativa dos estudantes, permitindo-lhes uma inesquecível experiência de protagonismo social, ao mesmo tempo em que contribuem com a saúde pública”, frisou Luiz Costa,  técnico em educação ambiental da SEE.

A secretária de Meio Ambiente, Sustentabilidade e Fernando de Noronha de Pernambuco, Ana Luiza Ferreira, lembra que a participação da Semas é fundamental porque precisamos abordar as questões ambientais que impactam diretamente na proliferação do mosquito. “Os efeitos das Mudanças Climáticas (aquecimento global), irregularidade no regime das chuvas, desmatamento e descarte irregular de resíduos são fatores que oferecem condições favoráveis para a procriação e proliferação do mosquito”, ressalta a gestora.

Para isso, equipes de Educação Ambiental da SEMAS e da Agência Estadual de Meio Ambiente CPRH estarão em campo.

“Entendemos que o momento é de unirmos forças para combatermos as arboviroses. Por isto, a  equipe de educação ambiental da CPRH está integrada  na missão conjunta de conscientizar para o problema que é de responsabilidade de cada um de nós”, comentou o Diretor Presidente da CPRH, José de Anchieta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here