Início Notícias Alerta: Casos prováveis de dengue aumentam 67% em uma semana em Pernambuco

Alerta: Casos prováveis de dengue aumentam 67% em uma semana em Pernambuco

329
Foto: reprodução

Em sete dias, Pernambuco teve um aumento de 67% no número de casos prováveis de dengue, segundo mostram os dados do boletim epidemiológico divulgado, nesta quinta-feira (7), pela Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE). Neste ano, Pernambuco acumula o registro de 4.342 pessoas que adoeceram com sintomas de dengue até a 9ª semana epidemiológica, que terminou no último dia 2. Até a 8ª semana, o estado tinha 2.599 ocorrências. Ou seja, o incremento de 1.743 notificações representa um aumento de 67%.

O número de casos prováveis, até a 9ª semana, é 309,6% superior ao mesmo período de 2023. Esse cenário faz a SES-PE intensificar as estratégias de mobilização contra o Aedes aegypti, através de parcerias com as prefeituras, o que inclui reforço das abordagens educativas à população, mutirões de limpeza, visitas domiciliares de agentes de endemias, além da capacitação dos profissionais de saúde dos municípios.

Até o momento, 356 casos de dengue foram confirmados em Pernambuco. Entre eles, seis evoluíram para a forma grave da doença, que pode levar a alterações neurológicas, sangramentos, falência de órgãos e óbito.

O novo boletim epidemiológico da SES-PE aponta ainda que, no momento, três cidades estão com alta incidência de casos de dengue: Araçoiaba (na Região Metropolitana do Recife), Chã de Alegria (Zona da Mata Norte do Estado) e Terra Nova (Sertão). O critério técnico de alta incidência, estabelecido pelo Ministério da Saúde, considera as notificações acima de 300 casos prováveis por 100 mil habitantes.

Os dados mostram ainda que Pernambuco notificou, neste ano, 11 mortes por arboviroses. Duas foram descartadas. As demais seguem em investigação.

OUTRAS ARBOVIROSES

O boletim da SES-PE ainda destaca que a chikungunya apresenta 1.000 casos prováveis neste ano, com incidência de 11 casos por 100 mil habitantes. Até o momento, 62 foram confirmados.

Já zika, que não apresenta circulação há alguns anos no Estado, possui 81 casos prováveis, sem confirmação. (JC Online)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here