Início Notícias Empresa de Pernambuco é desclassificada no processo de licitação da Transnordestina

Empresa de Pernambuco é desclassificada no processo de licitação da Transnordestina

98
Foto: reprodução

A empresa pernambucana Geosistemas Engenharia e Planejamento foi desclassificada no processo de licitação realizado pelo governo Federal , para elaborar os projetos básicos e executivos de engenharia do trecho pernambucano da Ferrovia Transnordestina, que liga Salgueiro ao Porto de Suape. Em maio, a empresa participou da disputa junto com outras oito concorrentes e ficou em primeiro lugar na proposta de preços.

As propostas foram abertas no dia 20 de maio e a Geosistemas apresentou o menor preço, com proposta de R$ 12.406.488,85 para executar os serviços. A segunda classificada na licitação com o menor preço foi a Estratégica Engenharia, oferecendo preço de R$ 15.217.431,06. Os projetos básico e executivo é que vão viabilizar a construção do trecho de 520 quilômetros da ferrovia Transnordestina em Pernambuco.

O atraso na conclusão dessa licitação, prejudica o início da obra. A expectativa do governo Lula é investir R$ 450 milhões, inicialmente, com recursos do PAC, para entregar o trecho que liga o Sertão ao Proto, em um prazo de 18 meses. Em 14 anos, é a primeira vez que o Governo Federal investe em projeto básico/executivo de novos trechos de ferrovia, em licitação lançada pela Infra S.A. – vinculada ao Ministério dos Transportes.

COMPROVAÇÕES E DOCUMENTOS

De acordo com a Infra S.A., a Geosistemas não foi aprovada na fase de comprovações e apresentação de documentos. Depois da proposta de preços, as empresas precisam passar pela habilitação, apresentando documentos que comprovem sua qualificação técnica operacional; relação de disponibilidade de equipe técnica e qualificação técnica profissional. A Geossistema atendeu parcialmente a alguns requisitos e não atendeu a outros, sendo desclassificada do processo.

Com a desclassificação da Geosistemas, o consórcio Estratégica Engenharia e Prosul, segundo colocado na proposta de preços, foi convidado a realizar o processo de habilitação, mas também acabou desclassificado na última segunda-feira (10). Diante das duas desclassificações, a Infra S.A. deverá convocar a terceira colocada para participar da fase de hanilitação. Sem os projetos básico e executivo, as obras da ferrovia não podem ser iniciadas.

UMA FERROVIA PARA PERNAMBUCO

A construção do trecho Salgueiro-Suape foi garantida pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva com recursos do PAC, depois que um aditivo entre a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) e a gestão Bolsonaro assinaram um aditivo de contrato em dezembro de 2022, devolvendo o trecho de Pernambuco ao governo federal. Articulações políticas da governadora e da bancada de Pernambuco no Congresso, ajudaram na decisão do presidente Lula em manter um trecho em Pernambuco e garantir que o desenvolvimento trazido por uma ferrovia também passe pelo Estado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here