Início Notícias Duplicação da BR-423, iniciada em novembro, já está paralisada no Agreste de...

Duplicação da BR-423, iniciada em novembro, já está paralisada no Agreste de Pernambuco

180
Foto: Guga Matos / JC Imagens

Obra compreende 43,1 quilômetros entre os municípios de São Caetano e Lajedo, num investimento de R$ 330 milhões, previstos no Novo PAC

Mal começaram, as obras de duplicação da BR-423, no Agreste de Pernambuco, já estão paralisadas. A ordem de serviço do primeiro trecho do projeto de adequação da capacidade viária da rodovia – que compreende 43,1 quilômetros entre os municípios de São Caetano e Lajedo, num investimento de R$ 330 milhões, previstos no Novo PAC (Plano de Aceleração do Crescimento) – tinha sido assinada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ministro dos Transportes, Renan Filho, tendo ao lado a governadora de Pernambuco, Raquel Lyra, em novembro de 2023.

A paralisação, inclusive, não foi divulgada publicamente pelo governo federal, mas quem circula no trecho da rodovia não vê nenhuma obra. O JC percorreu a BR e encontrou apenas vestígios do início da construção, como manilhas (tubos de concreto utilizados em construções de esgotos sanitários, industriais e pluviais) acumuladas em uma das margens da rodovia. Os equipamentos são referentes aos trabalhos de terraplanagem e drenagem.

Os únicos trabalhadores do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT), órgão federal responsável pela duplicação, encontrados pela reportagem estavam executando remendos paliativos na estrada – a famosa operação tapa-buraco. A medida, segundo informaram, é necessária para reduzir a insegurança da BR enquanto os trabalhos de duplicação não são retomados. Principalmente na época de festejos juninos, quando o volume de veículos circulando em direção a Garanhuns e para Caruaru aumenta significativamente.

DNIT NEGA QUE OBRA ESTEJA PARALISADA

O que foi apurado extraoficialmente é que a obra enfrentou problemas com o licenciamento ambiental, que estaria sendo resolvido para que os trabalhos possam ser reiniciados em breve. Por nota, o DNIT negou a paralisação – embora a reportagem não tenha encontrado nenhuma obra entre as cidades de São Caetano e Cachoeirinha, que deveria marcar o início dos trabalhos.

O órgão federal, mantém, inclusive, a previsão inicial de conclusão para o primeiro trecho: setembro de 2026. E que a obra está em fase inicial com a instalação do canteiro de obras e o alargamento de bueiros.

Com relação à questão ambiental, diz que atua na conclusão de procedimentos ambientais, junto ao órgão ambiental competente, para dar maior celeridade à obra. Vale relembrar que a OS foi assinada no início de novembro de 2023. (JC Online)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here