Home Notícias Araripina, caso Serra do Simões: Vítima teve cabeça decepada e órgão genital...

Araripina, caso Serra do Simões: Vítima teve cabeça decepada e órgão genital arrancado pelo sobrinho

0
Compartilhar

Crime aconteceu nesta quarta-feira (06). Antônio Marcos da Silva Cruz, Adelardo Edgar Silva Alencar e Anderson Gomes da Silva, foram presos em flagrante pela PC

Por Roberto Gonçalves / Foto: Polícia Civil

Um dos autores do duplo homicídio ocorrido nesta quarta-feira (06), em Araripina, no Sertão de Pernambuco, o assassino confesso Adelardo Edgar Silva Alencar, confessou toda a prática delituosa, assumindo a responsabilidade pelo duplo homicídio.

A motivação, segundo ele, teria sido uma simples discussão entre ele e as vítimas. Este foi autuado em flagrante delito pelos crimes de homicídio duplamente qualificado (por duas vezes) em concurso material com o crime de ocultação de cadáver. A polícia civil trabalha também com a hipótese de uma possível vingança.

Já o segundo autuado, o jovem Anderson Gomes da Silva, considerando os depoimentos das testemunhas e seu próprio interrogatório, teria ajudado a ocultar partes do corpo da vítima. Sendo, então, autuado por ocultação de cadáver.

Leia também:

>> Jovem é acusado de assassinar dois tios a pauladas e golpes de faca, em Araripina

Ressalta-se que o crime foi praticado com requintes de crueldade, sendo que uma das vítimas teve a cabeça decepada e o órgão genital arrancado.

O instituto de criminalística foi acionado e realizou perícias nos locais imediato e mediato do crime. Os corpos de ambas as vítimas foram encaminhados ao Instituto Médico Legal em Petrolina.

Os criminosos foram autuados em flagrante pelo Dr. George Saraiva, Titular da 24ª DPH. Encontram-se presos na carceragem da Delegacia de Homicídios e serão apresentados à Justiça para audiência de custódia.

No Banner to display

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

1 + catorze =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.